A INFLUÊNCIA DO MATERIALISMO, EDUCAÇÃO FINANCEIRA E VALOR ATRIBUÍDO AO DINHEIRO NA PROPENSÃO AO ENDIVIDAMENTO DE JOVENS

João Marcos Minella, Henrique Bertosso, Jandir Pauli, Vitor Francisco Dalla Corte

Resumo


O endividamento ainda se mostra como um tema que merece estudos e aprofundamento teórico. O objetivo deste artigo é analisar qual a relação entre materialismo, educação financeira valores atribuídos ao dinheiro na relação com o endividamento de jovens. Por meio de uma pesquisa quantitativa descritiva (técnica survey) foi aplicado um questionário escala Likert com 51 questões adaptadas no modelo de Flores (2012). Por meio de um levantamento foram investigados 91 jovens de 18 a 34 anos por meio das variáveis endividamento, materialismo, educação financeira e valor do dinheiro. Como resultado, contata-se que os jovens investigados têm a percepção de que mesmo diante da complexidade que o dinheiro representa, fazer economia pessoal torna-se fundamental para aquisição de bens que satisfaçam suas necessidades básicas e que lhes proporcionem conforto, bem como afirmam que o dinheiro não proporciona formas de autoridade e poder sobre os demais. As análises estatísticas (regressões lineares múltiplas) realizadas permitem confirmam a Hipótese 1, de que a educação financeira influencia de maneira positiva e significativa o endividamento de jovens; confirmam, também a hipótese 2, que estabeleceu que os valores do dinheiro influenciam de maneira positiva e significativa o endividamento de jovens; já a Hipótese 3 foi rejeitada, que previa uma relação de significância positiva entre o Materialismo e a propensão ao endividamento; a Hipótese 4, que instiga que os Valores atribuídos ao dinheiro mediam totalmente a relação entre Materialismo e endividamento também foi confirmada.


Palavras-chave


Endividamento; Valores do dinheiro; Jovens

Texto completo: PDF

Gestão & Planejamento. ISSN eletrônico (on-line/e-line) 2178-8030
ISSN impresso 1516-9103