SUSTENTABILIDADE ORGANIZACIONAL E AS ONGS: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DA DEPENDÊNCIA DE RECURSOS

Patricia Maria Mendonca, Edgilson Tavares Araujo

Resumo


Neste texto busca-se refletir sobre a distinta forma pelas quais as ONGs estão susceptíveis ao ambiente externo, a partir da perspectiva da Teoria da Dependência de Recursos, que destaca a necessidade das organizações continuamente se adaptarem as incertezas do ambiente externo a fim de lidarem com os desafios de manter e ativamente gerir o fluxo de recursos que necessitam para sobreviver. Para tanto, realizou-se um estudo de caso comparado em duas ONGs brasileiras, o Grupo de Apoio a Prevenção a Aids da Bahia (GAPA-BA) e o Grupo Brasil de Apoio ao Surdocego e ao Múltiplo Deficiente Sensorial (Grupo Brasil), que possuem históricos de atuação e objetivos diferenciados, mas em comum o fato sofrerem com o nível de centralização das fontes de recursos em organizações da cooperação internacional. As conclusões apontam para a importância de se estabelecerem estratégias que considerem o peso diferenciado dos recursos, financeiros e não financeiros, de maneira a contrabalancear o poder com suas fontes de dependência. A contribuição deste estudo consiste em trazer elementos que possam aprofundar as analises sobre as dimensões organizacionais e estratégias que delas derivam no entendimento sobre como as organizações gerenciam suas relações de dependência como ambiente.

Palavras-chave


ONGS Internacionais; ONGs Brasileiras; Dependência de Recursos; Sustentabilidade organizacional

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030