PRODUÇÃO ACADÊMICA EM TEORIA NEO-INSTITUCIONAL NO BRASIL: 1990 a 2010

Nério Amboni, Daniel Ouriques Caminha, Rui Otávio Bernardes de Andrade

Resumo


Este estudo analisou a relação da produtividade de autores em artigos acerca da Teoria Neo-Institucional, na sua vertente sociológica, publicados em periódicos e nos Anais da ANPAD, no período de 1990 a 2010 com o padrão teórico descrito pela Lei de Lotka. Os achados evidenciaram que a produtividade esteve concentrada em poucos autores, mantendo-se inferior aos parâmetros sugeridos pela Lei de Lotka. Foi observado que 77,99% dos autores publicaram apenas um artigo em periódico e 78,99% deles apresentaram apenas um artigo nos Anais. As instituições UFPR, UP, FGV-EAESP, FGV-EBAPE, UFPE, UFMG, UFRGS, USP e PUC-PR foram as que apresentaram o maior número de vínculos com autores de artigo. As produções apresentaram crescimento, especialmente na última década. Foi verificado que 17,65% dos artigos dos Anais foram posteriormente publicados nos periódicos. Ambos foram produzidos na sua maioria por dois autores, sendo a maioria classificados como estudos empíricos. Estudos Organizacionais, Estratégia em Organizações e Administração Pública foram às principais áreas associadas à produção em Teoria Neo-Institucional.

Palavras-chave


Teoria Neo-Institucional; Producción científica; Periódicos; Colecciones; Bibliometria

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030