A MUDANÇA CULTURAL EM ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS: A LUTA PELO DOMÍNIO CULTURAL NOS DISCURSOS DO SINDICATO

Lindomar Pinto Silva, Élvia Mirian Fadul, Taiz Vieira Pinheiro

Resumo


Este trabalho analisa as estratégias discursivas de um sindicato de servidores públicos no estado da Bahia, para resistir à tentativa de mudança cultural em organização pública envolvida em um processo de modernização. Para isto, foram utilizadas as abordagens sobre mudança cultural de Hatch (1993), Weeks e Galunic (2003) e Zheng, Qu e Yang (2009). Adota-se como definição de cultura um conjunto de artefatos, valores e pressupostos básicos de um grupo (Schein, 2004). A metodologia utilizada foi a análise do discurso nas dimensões das figuras e temas de Fiorin (2008). Os dados foram coletados através de análise documental, abrangendo os anos de 1989 a 2011, período em que se verificaram as tentativas de mudança organizacional. Os resultados indicam como o sindicato utiliza os recursos discursivos para resistir às mudanças culturais. Indicam também que, diferente do senso comum, de que apenas os atores pertencentes à cúpula organizacional agem em benefício próprio, outros atores também o fazem, dificultando os processos de mudança cultural. Por outro lado, destaca-se a contribuição deste trabalho ao lançar um novo olhar sobre as limitações organizacionais ao promover mudanças culturais nas organizações públicas, discutindo o papel dos sindicatos nos processos de modernização do Estado.


Palavras-chave


Cultura organizacional; Mudança cultural; Resistência; Sindicatos; Administração pública

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030