SUCESSORAS INVISÍVEIS: O IMPACTO DAS QUESTÕES DE GÊNERO NOS PROCESSOS DE SUCESSÃO EM EMPRESAS FAMILIARES

Ana Luiza Albuquerque, Rafael Diogo Pereira, Janete Lara de Oliveira

Resumo


Este estudo tem como objetivo problematizar a questão de gênero nas empresas familiares, evidenciando seu nível de interferência no processo sucessório de uma organização longeva do setor de construção.  A questão de gênero desponta como um critério tácito de sucessão em diversas organizações familiares, constituindo uma problemática retratada em diversos estudos sobre o tema (LERNER; MALACH-PINES, 2011; CAPPUYNS, 2007; FITZGERALD et al., 2001). Nesse sentido, o estudo sobre a questão da mulher diante dos processos sucessórios é relevante no campo dos estudos organizacionais, ao trazer outro conjunto de elementos para se refletir sobre tais processos. No tocante aos aspectos metodológicos, este artigo ancora-se em uma perspectiva qualitativa, adotando o método de estudo de caso (YIN, 2005). A partir da voz dos sujeitos de pesquisa foi possível observar que os processos de socialização vivenciados pelos membros familiares encontram-se fortemente vinculados à reprodução de determinadas práticas em relação à participação da mulher nesses empreendimentos. Desde muito cedo, existiram diferenças nos processos de socialização dos meninos e meninas da família, orientando os papéis que deveriam assumir junto à empresa. Assim, foi possível indicar a força dos critérios de gênero utilizados para balizar o processo sucessório, e de que forma eles contribuíram para afastar as mulheres do eixo da gestão na organização estudada.


Palavras-chave


Empresas Familiares; Sucessão; Gênero

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030