POBREZA E PARTICIPAÇÃO: DECIFRA-ME OU TE DEVORO

Rosinha Machado Carrion

Resumo


Historicamente vêm ocorrendo transformações no modo de problematizar a pobreza e nas estratégias para enfrentá-la. No período mais recente o debate vem sendo tensionado entre, de um lado, a visão neoliberal, que entende a pobreza como uma questão de necessidades desatendidas, e toma o mercado como principal referência para a promoção do desenvolvimento e da inclusão social e, de outro, a abordagem dos teóricos críticos, que a interpretam como uma questão de natureza também política e cujo enfrentamento exigiria intensa e qualificada participação das populações afetadas. O presente artigo introduz diferentes abordagens para a análise e interpretação do comportamento  de indivíduos muito pobres vivendo na periferia da cidade de Porto Alegre com o objetivo de contribuir, teoricamente,  para a compreensão do fenômeno da pobreza em países de modernidade periférica, como o Brasil.

 


Palavras-chave


Pobreza; Visão neoliberal; Teoria crítica; Comportamento; Modernidade periférica

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030