ESTRATÉGIA E CAPACIDADES DINÂMICAS PERANTE O EXERCÍCIO DA COOPETIÇÃO: UMA ABORDAGEM CONFIGURACIONAL

Cristiano Molinari Bispo, Fernando Antonio Prado Gimenez, Heitor Takashi Kato

Resumo


O objetivo do estudo é o de descrever a relação que configurações de ambiente, estratégia, capacidadesdinâmicas e coopetição estabelecem com o desempenho de pequenas organizações industriais do setor deconfecções. A hipótese assumida é a de que configurações específicas envolvendo estas variáveis apresentam desempenhos diferentes. O estudo, predominantemente quantitativo, desenvolve-se por levantamento,empregando-se análise fatorial exploratória, análise de agrupamentos, teste t e teste qui-quadrado, mantendocomo base a abordagem das configurações (MILLER; MINTZBERG, 1985). Foram identificadas duasconfigurações denominadas de moderada e dinâmica. Em comparação às empresas da configuração moderada,as empresas da configuração dinâmica: entenderam que o ambiente é mais imprevisível e dinâmico, porémmenos hostil; apresentaram indicadores superiores quanto às capacidades dinâmicas; denotaram maiorimportância ao comprometimento cooperativo e à harmonia entre as empresas. Sobretudo, foi observado umalinhamento entre o reconhecimento do dinamismo, a capacitação e a colaboração, caracterizando aconfiguração dinâmica, que apresentou um desempenho superior.

DOI: 10.21714/2178-8030gep.v17i1.3340


Palavras-chave


Estratégia; Coopetição; Capacidades Dinâmicas; Desempenho; Abordagem das Configurações

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030