INCUBADORAS DE EMPRESAS: MUITOS INVESTIMENTOS PÚBLICOS, MUITO BARULHO. E OS RESULTADOS?

Luana Pontes Tondolo, Cândido Borges, Bruno Alencar Pereira, Rosângela Pires da Silva

Resumo


Este trabalho tem como objetivo verificar os benefícios gerados pelas incubadoras goianas para os empreendedores, universidades e região onde elas estão instaladas. Utilizou-se dados de uma pesquisa qualitativa, realizada por meio de entrevistas com empreendedores incubados ou graduados, e de uma quantitativa, realizada por meio de questionário respondido pelos gerentes de incubadoras. Os resultados da pesquisa evidenciam que no geral as incubadoras pesquisadas, proporcionaram, até o momento da pesquisa, benefícios limitados para a região onde estão instaladas, pois existe um baixo número de projetos incubados e graduados e, em consequência, poucos empregos, renda e impostos gerados. Também para as universidades poucos foram os benefícios diretos. Em relação aos impactos para os empreendedores, nem todos os serviços são ofertados adequadamente, em especial aqueles de acesso ao capital financeiro. Conclui-se, que apesar dos recursos financeiros investidos nas incubadoras, nem todas estão trazendo benefícios significativos para os empreendedores, universidades e região.

DOI: 10.21714/2178-8030gep.v17i1.4448


Palavras-chave


Incubadoras; Empreendedorismo; Benefícios; Impactos

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030