UMA ANÁLISE QUALITATIVA DA ROTATIVIDADE VOLUNTÁRIA DE EMPREGADOS

Lucia Barbosa de Oliveira, Julia Teresa Rocha

Resumo


Apesar de ser um tema amplamente estudado, a rotatividade voluntária de empregados ainda suscita questões e debates. Nesse sentido, o presente estudo qualitativo teve por objetivo investigar as razões para a mudança de emprego expressas por ex-empregados de uma grande empresa brasileira de economia mista que voluntariamente optaram por deixar a organização. A seleção dos sujeitos contemplou, por um lado, profissionais mais novos que se desligaram antes de completar 10 anos de trabalho na empresa e, por outro, profissionais mais experientes que saíram após 20 anos de trabalho. Os resultados mostraram que, para os mais novos, a saída da empresa foi motivada predominantemente por recompensas extrínsecas e também pela insatisfação em relação às práticas de promoção e reconhecimento vigentes na empresa. Para os mais experientes, parece ter sido determinante a busca de novos desafios profissionais e a perspectiva de ter seu conhecimento, adquirido ao longo dos anos, mais valorizado.

DOI: 10.21714/2178-8030gep.v20.5297


Palavras-chave


Rotatividade de empregados; Satisfação no trabalho; Comprometimento organizacional; Percepção de justiça organizacional; Gestão de Recursos Humanos

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030