ANTECEDENTES CULTURAIS DA CORRUPÇÃO: UMA ANÁLISE DAS RELAÇÕES DO MODELO 6D DE HOFSTEDE NA DISSUASÃO À CORRUPÇÃO

Guilherme Costa Wiedenhöft, Edimara Mezzomo Luciano, Sabrina Callegaro

Resumo


O objetivo do artigo é verificar se as dimensões de Cultura Nacional do Modelo 6D de Hosftede atuam como antecedente da proteção à corrupção. O estudo é exploratório com abordagem quantitativa e a coleta de dados foi realizada com dados secundários. Os dados foram analisados pelo método de Partial Least Squares. A dimensão Distância do Poder demostrou possuir um efeito inverso em relação aos fatores de proteção a corrupção, ou seja, quanto menor a distância do poder, maior o DECIDE. A dimensão Orientação de Longo Prazo demostrou efeito positivo em relação ao fator qualidade institucional. A dimensão Indulgência demonstrou possuir um efeito positivo em relação ao fator Democracia.  Assim, uma sociedade que suprime as necessidades básicas humanas relacionadas com bem-estar e as regula por meio de normas sociais rígidas tende a estar menos suscetível à corrupção.

DOI: 10.21714/2178-8030gep.v20.5833


Palavras-chave


Corrupção; Cultura Nacional; Hofstede; Dissuasão à Corrupção

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030