MODELO INTEGRADO DE QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E VÍNCULOS ORGANIZACIONAIS: NO FINAL, O QUE VALE SÃO AS REGRAS

Mirian Serrão Vital, Kely Cesar Martins de Paiva, Jefferson Rodrigues Pereira

Resumo


Diante do questionamento “como se relacionam Qualidade de Vida no Trabalho e Vínculos Organizacionais (comprometimento, entrincheiramento, consentimento) de profissionais da Estratégia Saúde da Família?”, tomou-se por objetivo propor e validar um modelo que relacionasse tais construtos, na percepção de médicos e enfermeiros pertencentes à Estratégia Saúde da Família (ESF), de Manaus (AM). O referencial teórico reflete tais temas (Hackman & Oldham, 1975; Meyer & Allen, 1991; Rodrigues & Bastos, 2010, 2015; Silva, 2009, 2013). Por meio de um questionário, 98 enfermeiros e 63 médicos participaram da pesquisa.  A análise dos dados envolveu:  análise fatorial exploratória; modelagem de equações estruturais; e, análise descritiva dos dados. O modelo ajustado indica que os construtos de qualidade de vida no trabalho (Satisfações específicas: Recompensas e Supervisão; Dimensões da tarefa: Autonomia e Comunicação) influenciam os três vínculos e, determinam o seguimento das regras, inclusive no que tange à submissão à hierarquia, fechando no Consentimento organizacional.

DOI: 10.21714/2178-8030gep.v.21.6288


Palavras-chave


Recursos Humanos

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030