A REGULAÇÃO ASSISTENCIAL NO SUS SOB A LENTE DA TEORIA DA ESTRUTURAÇÃO

Deise Santana de Jesus Barbosa, Maria do Carmo Lessa Guimarães

Resumo


Trata-se de um artigo de revisão, por meio do qual buscou-se caracterizar a Regulação Assistencial no âmbito do SUS como uma prática social, considerando sua prerrogativa de integração dos pontos assistenciais na Rede de Atenção à Saúde. No contexto de complexidades estruturais do SUS, implementado cotidianamente num cenário de desigualdades socioeconômicas como o brasileiro, a ação regulatória, fundamentada predominantemente no controle normativo, tem contribuído para gerar barreiras de acesso aos serviços de saúde, contraditoriamente ao seu propósito de integrar os pontos de atenção. Argumenta-se que estudar a regulação assistencial e sua capacidade de integração da rede, fundamentados na teoria da estruturação de Antony Giddens, permite uma análise ampliada deste fenômeno.

DOI: 10.53706/gep.v.21.6855


Palavras-chave


Regulação governamental; Integração dos Serviços de Saúde; Rede Prestadora de Serviços de Saúde

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030