DETERMINANTES DA INTENÇÃO EM USAR O MOBILE BANKING JUNTO AOS BANCOS PÚBLICOS

Mac Régio Sampaio Franco, Alexandre Nascimento Almeida

Resumo


O comportamento do consumidor está se tornando mais digital, levando aos bancos desenvolveram tecnologias em seus serviços, destacando-se o Mobile Banking - MB. O objetivo deste artigo foi estudar o comportamento dos clientes de bancos públicos federais em relação ao uso do MB. O embasamento teórico é a Teoria Unificada de Aceitação e Uso de Tecnologia – UTAUT2, tendo os dados sido obtidos por meio de 297 questionários respondidos por clientes de bancos brasileiros e analisados pela técnica de Modelagem por Equações Estruturais. Os constructos: "expectativa de desempenho", "expectativa de esforço", "influência social", "condições facilitadoras", "hábito" e "valor" explicaram 56% da variância da intenção de usar o MB. O “hábito” mostrou-se como a dimensão que mais afeta a utilização do MB, seguido pela “expectativa de desempenho” e pelas “condições facilitadoras”. A constância no uso dos smartphones, a facilidade e o suporte dos bancos servem como mecanismos fundamentais na aceitação do MB.

DOI: 10.53706/gep.v.23.6863


Palavras-chave


Adesão tecnológica; Comportamento do consumidor; Tecnologia da informação

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030