ADMINISTRAÇÃO POLÍTICA DO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO: DESAFIOS PARA O ENFRENTAMENTO DAS CRISES SOCIAIS E ECONÔMICAS PROVOCADAS PELA PANDEMIA DA COVID-19

Mônica Matos Ribeiro, Reginaldo Souza Santos, Elizabeth Matos Ribeiro

Resumo


Este artigo busca ampliar a discussão sobre os diagnósticos e prognósticos assumidos para a superação da crise sistêmica do capitalismo contemporâneo refletindo sobre as influências das medidas adotadas, desde os anos de 1970, que redefiniram os padrões de gestão do capitalismo, até as repercussões nos dias atuais, considerando os desafios impostos pela Pandemia da Covid-19. Tomando como base teórico-metodológica os estudos desenvolvidos pelo campo da administração política, que defende o papel central que o campo de conhecimento e de práticas administrativas assume nessa discussão, propõe uma reinterpretação dos pressupostos defendidos pelas correntes neoliberais. Essas reflexões permitiram concluir que o padrão de administração política que emerge naquele contexto, caracterizado pela forte descentralização das ações do Estado e a consequente ampliação dos interesses do mercado financeiro, tem impossibilitado ao poder público preservar seu papel histórico como garantidor/financiador da recuperação econômica em momentos de crise. Esse processo de desestruturação produtiva das relações sociais de produção, circulação e distribuição tem se revelado ainda mais perverso nos encaminhamentos das soluções para a superação da crise social provocada pela Covid-19.

DOI: 10.53706/gep.v.22.6887

 


Palavras-chave


Administração Política; Crises do Capitalismo; Pandemia da Covid-19

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030