TEORIA QUEER E GESTÃO DA DIVERSIDADE: UMA APROXIMAÇÃO POSSÍVEL

Diego Costa Mendes

Resumo


Este artigo objetiva apresentar possibilidades de diálogo entre a gestão da diversidade e a teoria queer, a fim de questionar criticamente os reducionismos sobre a primeira e propor como a segunda pode contribuir com o potencial de inclusão das práticas de gestão de pessoas nas organizações. A aproximação se faz relevante como alternativa para se refletir acerca do caráter polissêmico da diversidade, ampliando as possibilidades de discussão sobre a multiplicidade humana, a representatividade, o reconhecimento, as oportunidades e a noção de inclusão nas organizações, para além da perspectiva funcionalista e mercantil pela qual a gestão da diversidade costuma ser criticada. Por fim, evidencia-se com este ensaio que a teoria queer se apresenta como um campo teórico robusto que pode expandir a capacidade de reconhecer as produções e reproduções de desigualdades, ampliando as possibilidades das práticas de gestão da diversidade no combate às formas de opressão, ao preconceito e às zonas de privilégio nas organizações.

DOI: 10.53706/gep.v.23.7225

 


Palavras-chave


Teoria Queer; Gestão de Pessoas; Gestão da Diversidade; Diferenças

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030