CIDADANIA SEXUAL NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS: PROVOCAÇÕES ACERCA DA ASCENSÃO DO IMAGINÁRIO POLÍTICO CONSERVADOR E A ADESÃO AO IDEÁRIO NEOLIBERAL ENTRE PESSOAS NÃO HETEROSSEXUAIS

Marcus Vinicius Soares Siqueira, Bárbara Novaes Medeiros, Danuzio Weliton Gomes da Silva, Gustavo Henrique Carvalho de Castro

Resumo


A inclusão social de pessoas não-heterossexuais tem ocorrido em vários países, sendo um símbolo de sofisticação da sociedade. Contudo, nota-se também, mais recentemente, o recrudescimento de orientações políticas que nutrem a aversão à diferença em diversas sociedades. Edificado sob reflexões que tangenciam da dimensão política da cidadania sexual à perspectiva crítica da relação organização-indivíduo, este ensaio teórico discute os reflexos da ascensão do conservadorismo político e do neoliberalismo para a inserção do indivíduo LGBT em organizações contemporâneas. Considera-se que a busca por adequação às expectativas sociais, em meio ao discurso das políticas pró-diversidade nas organizações, pode submeter o indivíduo LGBT ao controle afetivo e à instrumentalização da sua emancipação, o que seria, para a cidadania sexual, um risco de retrocesso. Como recomendação, sob os auspícios da teoria queer, este ensaio mobiliza um novo olhar sobre os indivíduos nas organizações; uma postura de questionamento das pretensões homogeneizantes e de valorização da diferença.

DOI: 10.53706/gep.v.23.7310


Palavras-chave


Cidadania sexual; Neoconservadorismo; Diversidade; Discurso organizacional; Teoria queer

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030