A BOBAGEM DA “ESCOLA SEM PARTIDO” PODE TER EFEITOS POSITIVOS

Marcos de Aguiar Villas-Boas

Resumo


A racionalidade humana predominante desde a Grécia Antiga e principalmente a partir do século XVIII está pautada no raciocínio lógico-dedutivo, aquele que constrói por operações lógico-formais conclusões particulares a partir de premissas gerais e que supõe não ser possível existir “a” e “não-a” ao mesmo tempo, regra lógica pinçada da obra de Aristóteles.Juntamente com essas ideias caminha a noção de que existe uma única resposta correta para as nossas perguntas e de que o objetivo humano é encontrá-la.A linguagem como instrumento de referência ao mundo e a verdade como correspondência entre o que é dito e o que existe são visões mais atribuídas a Platão.Os gregos antigos não eram, contudo, muito preocupados com a sistematização das suas ideias. Eram provocadores e refletiam sobre os mais variados assuntos, às vezes, com perspectivas distintas.

Texto completo: PDF


A Revista Direito UNIFACS – Debate Virtual estará sempre aberta a oportunidade para que todos, ainda que não sejam membros do Corpo Docente e Discente do Curso de Direito da UNIFACS, possam divulgar textos jurídicos de relevância dogmática, devendo enviar seus textos para o endereço eletrônico direito@unifacs.br

ISSN 1808-4435