O DIREITO À MEMÓRIA VISTO PELA LEITURA DE 1984

Lucas Fernandes de Souza Silva

Resumo


O presente trabalho trata-se de um ensaio que tem por objetivo trazer à tona pontos pertinentes à disciplina da Ética no Direito, enquanto campo crítico filosófico, nomeadamente em relação a alguns tópicos relativos ao chamado direito à memória e como ele pode se interligar ao conteúdo deste ramo da filosofia jurídica, questionando-se, portanto, o seu valor ético-social. Este objetivo procurou-se ser alcançado pela intersecção entre o Direito e a Literatura, utilizando-se como mote para alavancar o debate aqui proposto a obra “1984” do autor britânico George Orwell. A obra apresenta, num mundo distópico de uma Londres presa em um regime ditatorial que retêm e edita as informações de seus cidadãos, a fim de assegurar seu controle, um homem de meia idade que resiste e rebela-se contra o sistema buscando elementos do passado, da história e da memória, de si e do mundo que o rodeia, buscando através disto sua própria identidade.

Texto completo: PDF


A Revista Direito UNIFACS – Debate Virtual estará sempre aberta a oportunidade para que todos, ainda que não sejam membros do Corpo Docente e Discente do Curso de Direito da UNIFACS, possam divulgar textos jurídicos de relevância dogmática, devendo enviar seus textos para o endereço eletrônico [email protected]

ISSN 1808-4435