A EUGENIA E AS NOVAS PRÁTICAS SELETIVAS CONTEMPORÂNEAS

Itanaina Lemos Rechmann

Resumo


Serão abordadas as raízes filosóficas e históricas da eugenia, explicitando-se o pensamento darwiniano de seleção natural, viabilizador da não reprodução de fracos e doentes, e a eugenia tradicional de Francis Galton pautada no reconhecimento da superioridade humana, ideologia esta que serviu de fundamento às práticas seletivas na Alemanha nazista (eugenia médica) e às esterilizações compulsórias nos Estados Unidos da América e no Brasil. Arremata-se com a classificação da eugenia em positiva e negativa, consoante a finalidade que se tem em vista com a prática, e a análise da medicina preditiva, esta “criada” pelo Projeto Genoma Humano – PGH, e da genética como molas propulsoras às novas práticas seletivas.

Texto completo: PDF


A Revista Direito UNIFACS – Debate Virtual estará sempre aberta a oportunidade para que todos, ainda que não sejam membros do Corpo Docente e Discente do Curso de Direito da UNIFACS, possam divulgar textos jurídicos de relevância dogmática, devendo enviar seus textos para o endereço eletrônico direito@unifacs.br

ISSN 1808-4435