PROPOSIÇÕES PARA UM ENSINO JURÍDICO ATRAVÉS DA ARTE

Michelle Couto

Resumo


O presente trabalho apresenta como escopo perquirir em que medida uma experiência artística pode ser compreendida enquanto ação de índole educativa, apta a contribuir no ensino do Direito. Já há algumas décadas, teóricos e educadores denunciam uma suposta “crise” no sistema de educação jurídica, em razão de uma excessiva normatividade, que contribuiu para seu distanciamento da realidade social. Ademais, verifica-se que as Academias vocacionadas a seu estudo, seguem paulatinamente se rendendo às exigências constantes nas provas da Ordem dos Advogados e dos concursos públicos, os quais corroboram para a produção de saberes demasiadamente sistematizados e concisos. Nesse jaez, investiga-se como a fruição de um objeto artístico, pode revelar uma práxis pedagógica hábil a despertar uma formação mais crítico-reflexiva do fenômeno jurídico, a partir de algumas noções conjugadas das obras “Pedagogia do Teatro, provocação e dialogismo” de Flávio Desgranges e “O mestre ignorante” de Jacques Rancière.

Texto completo: PDF


A Revista Direito UNIFACS – Debate Virtual estará sempre aberta a oportunidade para que todos, ainda que não sejam membros do Corpo Docente e Discente do Curso de Direito da UNIFACS, possam divulgar textos jurídicos de relevância dogmática, devendo enviar seus textos para o endereço eletrônico direito@unifacs.br

ISSN 1808-4435