SENHOR DO BONFIM, IEMANJÁ E AS AGLOMERAÇÕES

Antônio Carlos Nogueira Reis

Resumo


Naquela manhã de quinta-feira, 14 de janeiro, em que deveria ser comemorado o seu “Dia de Glória", como diz o abençoado hino, acompanhei, com incontida tristeza, do alto de nossa varanda voltada para o Campo Grande, a passagem solitária da imagem do Senhor do Bonfim proveniente da Igreja da Vitória, transportada em carro aberto do Corpo de Bombeiros. Noticiaram alguns jornais que seria esta a primeira vez que a imagem do Senhor do Bonfim não amanhece no altar-mor da sua igreja à espera da multidão de fiéis que, em seu louvor, certamente compareceria à Colina Sagrada.

Texto completo: PDF


A Revista Direito UNIFACS – Debate Virtual estará sempre aberta a oportunidade para que todos, ainda que não sejam membros do Corpo Docente e Discente do Curso de Direito da UNIFACS, possam divulgar textos jurídicos de relevância dogmática, devendo enviar seus textos para o endereço eletrônico [email protected]

ISSN 1808-4435