CONTRADIÇÕES ENTRE ESSÊNCIA E APARÊNCIA NOS PROCESSOS DE EMPODERAMENTO DE GAYS EM ORGANIZAÇÕES DE TRABALHO

Alex Fernandes Magalhães, Luiz Alex Silva Saraiva

Resumo


Neste artigo se problematizam os processos de empoderamento de minorias sociais, com foco em homossexuais masculinos (gays) em espaços organizacionais privados. Tais espaços são marcados pelo discurso da heteronormatividade, atrelando à masculinidade hegemônica os ideais de competência, força e determinação, a quem caberiam, portanto, o poder e o reconhecimento. Como os gays são “diferentes” pela sua orientação sexual, que pode ser omitida nas relações formais, eles se mobilizam subjetivamente para o pertencimento organizacional, anulando elementos identitários e subjetivos. Percebe-se, assim, que seu empoderamento se traduz como submissão às avessas, caracterizando, dialeticamente, a ideologia da diversidade: ao se marcar que os sujeitos sociais são iguais, ratifica-se a intolerância pela negação das diferenças constitutivas entre sujeitos no discurso da inclusão e do empoderamento, tendo em vista a angústia ocasionada pela mudança ou novidade que as diferenças trazem a um contexto de “semelhantes”.

DOI: 10.21714/2178-8030gep.v19.4669


Palavras-chave


Empoderamento; Gays; Organizações de trabalho

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030