JUSTIÇA ORGANIZACIONAL E COMPORTAMENTOS RETALIATÓRIOS: COMO JOVENS APRENDIZES (NÃO) SE POSICIONAM?

David Silva Franco, Kely Cesar Martins de Paiva

Resumo


O objetivo deste estudo é compreender como jovens aprendizes percebem a justiça organizacional, os comportamentos retaliatórios e suas possíveis conexões no ambiente de trabalho. Os jovens trabalhadores, pouco pesquisados no país, possuem peculiaridades distintas dos demais. Na construção do referencial teórico, observou-se uma predominância de estudos quantitativos e recomendações de realização de investigações com abordagem qualitativa. Assim, optou-se nesta pesquisa pela abordagem qualitativa, tendo-se realizado 23 entrevistas, cujos dados foram submetidos à análise de conteúdo. Constatou-se que o público pesquisado, ao contrário do que a literatura informa, tem percebido o ambiente de trabalho como predominantemente justo, sendo, ainda, o comportamento retaliatório pouco comum. Dada a condição de vulnerabilidade social e o contexto socioeconômico do público especificamente abordado, a relevância dessa pesquisa centra-se na compreensão dos motivos envoltos à formação do panorama verificado, propondo maior reflexividade para os estudos sobre tais temáticas e tais atores sociais no campo do comportamento organizacional.

DOI: 10.21714/2178-8030gep.v19.5166

 


Palavras-chave


Justicia organizacional; Comportamientos de represalia; Trabajadores jóvenes; Comportamiento organizacional.

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030