DESAFIOS DA REGULAÇÃO DA EAD NO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: ESTRUTURA, DIÁLOGO E AUTONOMIA INSTITUCIONAL

Sergio Hage Fialho, Manoel Joaquim Fernandes de Barros, Marcia Tereza Rebouças Rangel

Resumo


Este estudo discute a relação entre o conjunto normativo que regula a educação a distância - EAD no ensino superior do Brasil, e requisitos essenciais à qualidade pedagógica dos cursos. Metodologicamente, estabelece, com base na literatura, conceitos centrais para determinar a qualidade pedagógica na EAD - Diálogo, Estrutura e Autonomia Institucional -, e aplica esses conceitos à análise de uma base de documentos normativos da regulação federal (1996 a 2018). As conclusões indicam que duas questões pedagógicas essenciais não são adequadamente contempladas na regulação: a garantia de adequada interatividade docente-aluno (não há métrica objetiva que impeça a formação de turmas com elevado número de alunos por tutor) e a possibilidade de atender às especificidades dos alunos e do seu contexto social (não há incentivo regulatório específico para que os conteúdos e as atividades do curso sejam customizados pelo professor/tutor ao longo do processo de ensino-aprendizagem).

DOI: 10.21714/2178-8030gep.v.20.5706


Palavras-chave


Educação a distância; EAD; Políticas de regulação; Qualidade pedagógica

Texto completo: PDF

Todo conteúdo da revista está sob a licença 

Gestão & Planejamento. ISSN impresso 1516-9103 - ISSN eletrônico 2178-8030