A ECONOMIA ALGODOEIRA E AS TRANSFORMAÇÕES URBANAS NA CIDADE DA PARAHYBA

Kaline Abrantes Guedes, Nelci Thinem, Carolina Marques Chaves

Resumo


O final do século XIX e início do século XX foram marcados pela constituição de uma paisagem urbana, em que modernidade e progresso eram palavras-chaves para a nova sociedade que se formava e se afirmava. Era preciso sanear, ordenar os espaços existentes e criar cenários propícios ao desenvolvimento da vida moderna. A Paris de Haussmann era o modelo e a inspiração para o que viria a acontecer no Brasil nesse período. João Pessoa, como outras cidades brasileiras e nordestinas, realiza obras de melhoramentos urbanos para viabilizar as funções da cidade moderna: circular, sanear e embelezar. Assim, alterou-se o traçado, a arquitetura e a forma de utilizar os espaços, criando um novo desenho, que sob o signo dos melhoramentos urbanos se consolida a fim de negar ou esconder os traços do passado colonial, apontando para o futuro, afirmando a prosperidade econômica local e conferindo ao espaço urbano ares de modernidade. Nesse momento, a hegemonia do algodão como principal produto da economia do estado e sua projeção, nacional e internacional, coincide com a difusão dos ideais progressistas, iluministas e modernos e contribui para a formação de uma nova forma de pensar e vivenciar o espaço urbano. Assim, João Pessoa, conhecida como produto da economia açucareira, teve grande parte das “feições” de seu Patrimônio Urbano, hoje características do Centro Histórico, construídas sob a égide do ‘ouro branco’ – o algodão. É exatamente a relação entre a participação desse produto agrícola na geração da receita estadual e o processo de transformação urbana pelo qual passa a capital paraibana nas primeiras décadas do século XX, o tema que essa comunicação se propõe a aprofundar. Ou seja, confrontar os dados econômicos de produção e exportação do algodão e os investimentos em obras públicas que geraram as alterações introduzidas no espaço urbano e a consolidação de uma nova morfologia urbana sob o signo da modernidade e o progresso econômico.

Palavras-chave


Economia algodoeira; Modernização e Progresso; Século XX; João Pessoa

Texto completo: PDF

RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684