A FIOL E A LOGÍSTICA TERRITORIAL BAIANA: FRAGMENTAÇÃO E LIMITAÇÕES

José Gileá Souza, Henrique Campos Oliveira, Gustavo Henrique Dutra Mettig, Alessandro Leboreiro Souza

Resumo


Conceitualmente, a Ferrovia de Integração Oeste Leste (FIOL) apresenta externalidades positivas para o território baiano ao ser apontada pelo atual Governo Baiano como uma das principais soluções para os problemas de integração física e escoamento da produção do Estado. No entanto, as evidências históricas apontam que regiões periféricas, tal como a Bahia, resulta na ampliação de assimetrias e reprodução do modelo de infraestrutura de transporte voltada para atividades produtivas exógenas. A partir dessa contradição, surge a seguinte questão norteadora desse trabalho: como a construção da FIOL contribui para a integração física e para a disseminação de vantagens competitivas à estrutura produtiva do território baiano? Seria a FIOL uma ruptura do paradigma que acarretam em fragmentação e limitação da infraestrutura de transporte inerentes à periferia do sistema internacional capitalista? A partir desses questionamentos, há os seguintes objetivos específicos: primeiro, expor uma breve discussão sobre o conceito de Logística Territorial e a criação do espaço na contemporaneidade; o segundo objetivo se concentra na dimensão organizacional estratégica da criação da FIOL; em seguida, a partir da dimensão institucional, concentra-se no detalhamento e apresentação dos principais pontos da regulação e regulamentação que influenciam a construção da ferrovia; o quarto objetivo remete a uma breve descrição da possível infraestrutura resultante da interação das duas dimensões citadas anteriormente. Por fim, é possível concluir que a FIOL não apresenta uma ruptura com um modelo tradicional presente em regiões periféricas na qual a integração física está subsumida aos interesses exógenos e desarticulada com a estrutura produtiva regional.

Palavras-chave


Logística territorial; Desenvolvimento regional; Integração física; Infraestrutura de transporte; Modal ferroviário

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684