A GEOPOLÍTICA E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA: DIFERENCIAIS COMPETITIVOS ENTRE BRASIL E CHINA

Elisângela Carvalho Vaz, Ycarim Melgaço Barbosa

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir a geopolítica internacional a partir da inserção da indústria farmacêutica em nível mundial. O segmento farmacêutico consolidou-se internacionalmente a partir da Segunda Grande Guerra, com a comercialização da penicilina. Foi a partir de 1945 que houve a reconfiguração deste setor em nível internacional com a presença dos Estados Unidos, a partir de alianças estratégicas entre a indústria farmacêutica, as universidades e novos centros de pesquisa especializados em engenharia genética e biotecnologia. O fortalecimento da indústria farmacêutica internacional ocorreu a partir do acordo Trips, que possibilitou o alicerçamento das grandes empresas multinacionais, bem como o reposicionamento dos países em relação a este setor. Objetiva-se com este artigo discutir as principais mudanças na política industrial voltada para o setor farmacêutico no Brasil e na China, com foco nos principais diferenciais competitivos da indústria farmacêutica destes dois países, bem como apontar os principais gargalos da indústria farmacêutica brasileira em relação à chinesa.

Palavras-chave


Geopolítica; Indústria farmacêutica; Diferenciais competitivos; Política industrial

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684