A MIGRAÇÃO INTERESTADUAL NO BRASIL: DISTRIBUIÇÃO E SEUS DETERMINANTES

Rubens Ibraim Ribeiro, Augusta Pelinski Raiher, Matheus Justino Cândido, Alysson Luiz Stege

Resumo


Este trabalho teve como objetivo analisar o impacto do mercado de trabalho e dos fatores não pecuniários no fluxo migratório interestadual dos municípios brasileiros. Para tanto, especificou-se modelos econométricos espaciais com regimes espaciais, controlando tanto a dependência como também a heterogeneidade existente entre as regiões. Como corolário, teve-se um intenso fluxo migratório no período analisado, beneficiando praticamente todos os municípios brasileiros, com uma concentração relevante no Centro-Oeste do país. No que se refere aos determinantes desse fluxo, o mercado de trabalho se apresentou como principal fator em todas as regiões, influindo numa magnitude maior especialmente nos espaços mais concentradores desse processo. Dentre os elementos não pecuniários, apenas a infraestrutura urbana foi estatisticamente significativa, afetando apenas algumas regiões brasileiras. Portanto, no fluxo interestadual da população brasileira, o mercado de trabalho foi o elemento mais expressivo desse processo.


Palavras-chave


Migração interestadual; Mercado de trabalho; Elementos não pecuniários; Econometria espacial; Regimes espaciais

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684