MIGRAÇÃO E MOBILIDADE PENDULAR NAS METRÓPOLES CEARENSES: INTEGRAÇÃO OU FRAGMENTAÇÃO?

Isac Alves Correia

Resumo


O objetivo desse trabalho é analisar e comparar a relação entre mobilidade pendular e migração na RMC e na RMF, ambas no estado do Ceará. Os microdados do Censo de 2010 são a principal fonte de informações. A metodologia adotada consiste em modelos de regressão logística para estimar a chance de migrar e efetuar a mobilidade pendular simultaneamente e a seletividade. Os resultados indicam que há uma maior chance dos migrantes pendularem tanto para trabalho (O.R = 1,602) quanto para estudo (O.R = 4,091) na RMF, enquanto que na RMC essa proposição é válida somente para a pendularidade por motivo de trabalho (O.R = 1,572). Adicionalmente, o sexo e a idade, dentre outros fatores podem influenciar significativamente a condição de migração e a mobilidade pendular.


Palavras-chave


Mobilidade; Urbanização; Seletividade; Região Metropolitana do Cariri; Região Metropolitana de Fortaleza

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684