CAUSALIDADE GRANGER EM ECONOMIA DA SAÚDE: UMA ANÁLISE DA POLÍTICA DE REDUÇÃO DE LEITOS HOSPITALARES NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE BRASILEIRO

Daniel Penido de Lima Amorim, Marcos Antônio de Camargos

Resumo


Este artigo revisa a literatura que utilizou de testes de causalidade Granger em Economia da Saúde. Ele tem por objetivo avaliar a política de redução de leitos hospitalares no Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro, mediante a aplicação de testes de causalidade Granger com dados de leitos por habitantes e de taxa de internação do período de 2005 a 2017. A análise foi realizada mediante a abordagem Toda-Yamamoto do teste de causalidade, baseada em modelos VAR aumentados. Adicionalmente, adotou-se a abordagem de causalidade Granger convencional, que usa modelos VECM. Os resultados evidenciaram causalidade Granger unidirecional, no sentido do indicador de leitos para aquele de internações. Isso sugere que as pressões para a redução do número de leitos hospitalares advieram, primeiramente, da oferta controlada pelo governo, ao invés de decorrerem de uma menor demanda da população por serviços de saúde.


Palavras-chave


Leitos por Habitantes; Taxa de Internação; Sistema Único de Saúde; Causalidade Granger; Economia da Saúde

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684