ORGANIZAÇÕES DE ECONOMIA CRIATIVA: UMA ANÁLISE DO TRABALHO NAS EMPRESAS PARTICIPANTES DO PROGRAMA RIO CRIATIVO

Flora Thamiris Rodrigues Bittencourt, Daniela Longobucco Teixeira Balog, André Luís Faria Duarte, Deborah Moraes Zouain

Resumo


O conceito de economia criativa se refere a um conjunto de atividades que dependem do conteúdo simbólico, no qual está incluída a criatividade como matéria-prima. O artigo tem como objetivo analisar a dimensão organizacional do trabalho em empresas participantes do processo de incubação do programa Rio Criativo. Para cumprimento do objetivo, foi realizada pesquisa de campo de natureza qualitativa. Como coleta de dados, foi adotada pesquisa documental e entrevista semiestruturada. A análise foi baseada na análise de conteúdo. Os principais resultados obtidos se relacionam à relevância de uma incubadora para a consolidação de empresas do setor de economia criativa, ao incentivo para elaboração de projetos, ao trabalho desempenhado virtualmente ou em espaço de coworking, à importância das redes sociais e da relação do trabalho com a inovação. Ademais, as oportunidades para os negócios criativos são crescentes, mas o mercado interno precisa ser desenvolvido e estimulado. Portanto, ressalta-se que o desenvolvimento da economia criativa necessita de políticas públicas adequadas, que considerem a necessidade de linhas específicas de financiamento, diferenciação tributária e sistemas de normatização dos empreendimentos.


Palavras-chave


Economia Criativa; Organizações; Trabalho; Incubação; Programa Rio Criativo

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684