DEPENDÊNCIA ECONÔMICA E A CULTURAL EM FURTADO E FAJNZYLBER: REVISÕES E PROPOSIÇÃO DE UMA NOVA AGENDA NO ALVORECER DO SÉCULO XXI

Rafael Gumiero

Resumo


O tema do subdesenvolvimento foi notório principalmente após a Segunda Guerra Mundial e nos anos 1970 intensificaram as formas de acumulação pela inserção das empresas transnacionais e pelo capital financeiro nos países periféricos. Dentro do universo composto pelas interpretações do subdesenvolvimento, o objetivo é analisar a ressignificação de subdesenvolvimento na teoria de Celso Furtado e na tese de Fernando Fajnzylber. Para o balanço desse fenômeno foram selecionadas as categorias de análise realizada em suas produções bibliográficas: a) de formação do subdesenvolvimento na América Latina; b) a dependência econômica; c) a dependência cultural; d) a renovação da concepção de desenvolvimento no século XXI. O diálogo é mobilizado para Furtado sob a ênfase de que a transformação para o desenvolvimento transita do Estado, pela racionalidade do planejamento, para o indivíduo e a cultura como epicentro das transformações e mudanças estruturais. E, para Fajnzylber a concepção de transformação está na função do Estado, elegida como prioritário a concessão da cidadania e educação, como geração de inovações tecnológicas para aperfeiçoar a competitividade dos países no comércio internacional.


Palavras-chave


dependência cultural; América Latina; democracia; competividade, criatividade.

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684