ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DOS GASTOS EDUCACIONAIS COM ENSINO MÉDIO EM PERNAMBUCO

Karoline Amaral de Almeida, Wellington Ribeiro Justo

Resumo


O Brasil nas últimas duas décadas vem aumentando os investimentos em educação básica, o crescimento dos investimentos busca resultados satisfatórios na qualidade do ensino. Nesse cenário, Pernambuco apresentou um bom resultado do Índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb), obtendo resultados acima da média nacional. Desse modo, o trabalho tem como objetivo analisar a eficiência estática e dinâmica dos gastos educacionais no ensino médio dos municípios pernambucanos no período entre 2017 e 2021. A metodologia utilizada foi a DEA-BBC com orientação para output na análise estática e DEA-Malmquist na análise dinâmica e em ambos casos recorrendo à Análise de cluster com o método não hierárquico k-médias. Através do DEA-BBC identificou-se que a maioria das DMUS ficou no intervalo, 075-0,99, classificados como tecnicamente ineficientes os municípios situados nesse intervalo. Já na análise dinâmica pelo Dea-Malmquist constatou-se que cerca de 76,68% dos municípios reduziram a produtividade, enquanto 48,63% elevaram a eficiência.  De modo geral, pode-se inferir que, embora constatada melhora na eficiência e no progresso técnico, a grande maioria dos municípios encontram-se abaixo da fronteira de eficiência justificada em maior magnitude pelo regresso tecnológico. Parte dessa perda é amenizada pelo efeito positivo na eficiência gerada pelos professores com ensino superior. Assim, mesmo constatados bons resultados de Pernambuco no Ideb do ensino médio, há muito espaço para melhorar a eficiência dos gastos educacionais nos municípios pernambucanos.


Palavras-chave


Despesas com educação; DMUS; DEA-BBC; Malmquist; Eficiência dinâmica

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684