MARIA QUITERIA E O DOIS DE JULHO

Raymundo Pinto

Resumo


Fora da Bahia, os brasileiros costumam pensar que, após o grito de D. Pedro às margens do riacho Ipiranga – “Independência ou Morte” – não teria havido muitas dificuldades em expulsar as tropas portuguesas que aqui ainda permaneciam. O livro do escritor Laurentino Gomes intitulado “1822” alcançou grande notoriedade e permanece, desde 2010 até hoje, entre
os mais vendidos do país. Teve ele a feliz idéia de incorporar ao volume todo um capítulo dedicado a descrever as históricas lutas dos baianos pela
independência do Brasil. Só assim as pessoas de outros estados, mais bem informadas e que gostam de ler, começaram a tomar conhecimento de que
ocorreram aqui acontecimentos sangrentos e de bravura depois daquela simbólica proclamação. É evidente que a enorme parcela da população pouco
educada continua ignorando esses fatos tão importantes. Cabe aos que possuem mais elevada instrução e que se orgulham de ter nascido na Bahia divulgarem com entusiasmo nossa rica história. Nesse breve relato, pretendo fornecer dados essenciais que possam servir para que os propagadores das nossas lutas e heroísmos levem tais informações aos que nada sabem sobre o assunto.

Texto completo: PDF


A Revista Direito UNIFACS – Debate Virtual estará sempre aberta a oportunidade para que todos, ainda que não sejam membros do Corpo Docente e Discente do Curso de Direito da UNIFACS, possam divulgar textos jurídicos de relevância dogmática, devendo enviar seus textos para o endereço eletrônico direito@unifacs.br

ISSN 1808-4435