A COMPLEXIDADE TERRITORIAL DO CANYON DO RIO SÃO FRANCISCO E SUAS VÁRIAS INSTÂNCIAS DE GOVERNANÇA PARA O TURISMO

Tiago Sá Teles Cordeiro, Regina Celeste de Almeida Souza

Resumo


O presente artigo decorre de estudos sobre a área do Canyon do rio São Francisco, destino turístico regional consolidado, no qual confluem três territórios político-administrativos estaduais. Debruçamo-nos em fazer uma reflexão sobre o conflito territorial existente entre as unidades federativas brasileiras, que ao se territorializarem por laços de dominação do espaço, possuem mais legitimidade para impor sua forma de gestão; e o território turístico, que se apropria do espaço aonde se materializa sua atividade, possuindo limites fronteiriços dinâmicos, impondo igualmente uma racionalidade própria para a gestão dos elementos deste espaço. Este último, por sua vez, se sobrepõe a mais de uma unidade federativa e, considerando o referido conflito territorial, constatamos a multiplicação de instâncias de governanças, em diversas escalas, em um mesmo destino turístico. Tais instâncias, na região do Canyon, não trabalham de forma convergente para a solução dos problemas, ao contrário, ao não perceberem que todas fazem parte de um mesmo território turístico, têm uma perspectiva não colaborativa, que nada contribui para o desenvolvimento do turismo daquele destino, ou da própria região

Palavras-chave


Canyon do São Francisco; Território Turístico; Governança

Texto completo: PDF

RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684