AS CIDADES MÉDIAS INTERIORIZADAS NO DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE: UM ESTUDO SOBRE PAU DOS FERROS (RN)

Joseney Rodrigues de Queiroz Dantas, Maria Augusta do Livramento Miranda Clementino

Resumo


Os estudos sobre as cidades médias no Brasil ganham destaque no meio acadêmico e na elaboração de políticas públicas nos anos 1970. Com o contexto econômico da globalização e as reconfigurações territoriais, alguns autores tem proposto a utilização do termo cidade intermédia ou cidade intermediária, em cujo escopo está embutido critérios de natureza qualitativa. Na região Nordeste, o processo de urbanização foi lento, atomizado, geográfico e economicamente disperso, o que resultou numa rede urbana truncada, constituída por
suas nove capitais regionais e cerca de duas dezenas de cidades de porte médio, em sua maioria, interiorizadas. É a partir dessa ‘rede urbana nordestina interiorizada’ que nos propomos a estudar Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte. Compreender os determinantes da produção desse espaço urbano-regional que a caracterizam como cidade (inter) média, com fins a refletir sobre o seu papel no desenvolvimento regional é o objetivo deste trabalho. Nossa principal hipótese é que, a despeito de um contingente populacional pequeno, Pau dos Ferros vem desempenhando na rede urbana do Nordeste as funções de intermediação, particularmente, pela ação Estatal e/ou intervenção pública na oferta dos serviços de educação superior e saúde, além da oferta de empregos, notadamente no comércio e nos serviços públicos, o que nos permite tratá-la à priori como uma cidade
intermediária.

Palavras-chave


Cidades média; Produção do espaço urbano-regional; Pau dos Ferros

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684