A ESTRUTURA PRODUTIVA DO COMÉRCIO INTERNACIONAL BRASILEIRO: UMA ANÁLISE DE COMPLEXIDADE ECONÔMICA

Fernan Martins Fernandes Ferreira, Elcio Gustavo Benini, Gabriel Gualhanone Nemirovsky, Adriano Pereira de Castro Pacheco

Resumo


Este artigo analisa a composição do comércio internacional brasileiro à luz da complexidade econômica. Revisou-se a questão da estrutura produtiva em constructos desenvolvimentistas e a relação entre complexidade econômica e comércio internacional; identificou-se os setores econômicos e os produtos mais exportados pela economia brasileira e, aqueles em que se obteve maior vantagem comparativa, contrapondo-os aos setores e produtos mais importados exclusivamente de economias desenvolvidas. Concluiu-se que a economia brasileira ainda é, predominantemente, exportadora de produtos de origem agrária e de extrativismos, ao mesmo tempo em que é importadora de produtos sofisticados de economias consideradas desenvolvidas e complexas, classificando-a, ao que pôde o comércio internacional revelar e, pela perspectiva teórica adotada, como não plenamente desenvolvida.

 


Palavras-chave


Comércio Internacional; Estrutura Produtiva; Complexidade Econômica

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684