CONDICIONANTES DA CRIMINALIDADE NOS MUNICÍPIOS DO RIO GRANDE DO SUL: UMA ANÁLISE ECONOMÉTRICA ESPACIAL PARA O ANO DE 2010

Felipe Montini, Daniel Arruda Coronel, Kalinca Léia Becker

Resumo


Este trabalho analisou os condicionantes da criminalidade nos municípios do Rio Grande do Sul, no ano de 2010, por meio de modelos econométricos espaciais, procurando fornecer informações e estimar os efeitos de variáveis relacionadas à desigualdade, ao desenvolvimento, ao emprego, à demografia e à educação, sobre as taxas de crimes de naturezas distintas. Analisou-se, também, a existência de autocorrelação espacial da criminalidade e identificou-se a formação de clusters municipais. Os principais clusters de criminalidade foram encontrados nas regiões litorâneas e Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA). Os efeitos estimados das variáveis referentes à renda, ao emprego, e à juventude masculina estão de acordo com o esperado teoricamente. A porcentagem de pessoas casadas mostrou o maior poder de dissuasão da criminalidade em todos os tipos de crime. A variável relativa às mães adolescentes, em 1991, teve efeito positivo sobre os furtos, indicando que fatos relacionados à demografia e às condições de infância no passado refletem-se na criminalidade atual.

 


Palavras-chave


Criminalidade; Análise espacial; Bem-estar social

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

INDEXAÇÃ0:

DOAJ

Associada

Todo conteúdo da revista está sob a licença 
RDE – Revista de Desenvolvimento Econômico. ISSN eletrônico 2178-8022 (números publicados a partir de 2010)
ISSN impresso 1516-1684